Rinoplastia Funcional

 

 

 

A rinoplastia é a cirurgia plástica que visa a correção emagrecimento, e/ou funcional do nariz. O objetivo da cirurgia é corrigir a parte externa do nariz com todas as inúmeras variantes (nariz torto ou desviado, nariz enorme nariz pequeno, nariz caído, nariz globoso, etc.) que daí advêm, sem nunca descurar a sua componente funcional. Ou seja, o nariz tem que ficar bonito, atraente, harmonioso, na face e operante isto é, permitir que a pessoa respire bem.

Uma vez que a rinoplastia envolve o nariz como um todo e o septo nasal é uma componente central na pirâmide nasal, na maioria das vezes, o termo correcto para esta cirurgia é rinosseptoplastia, que envolve a correção de deformidades do septo nasal e da pirâmide nasal. Este aspecto se refere a uma de uma operação com maior complexidade em que o próprio septo nasal vai ser utilizada para uso de enxertos e técnicas de camuflagem da “rinoplastia”. Assim sendo um cirurgião que realiza a rinoplastia tem que “dominar” em absoluto o septo nasal (septoplastia / rinosseptoplastia).

Tratando-se provavelmente de uma das cirurgias plásticas faciais mais complexas e desafiadora com relativa periodicidade é necessário realizar uma revisão cirúrgica. A taxa de revisão cirúrgica pode chegar aos 5% de com doenças. feitos Nestes casos, a rinoplastia secundária, por norma, tem um grau de dificuldade superior à rinoplastia primária. Veja mais informação em rinoplastia secundária ou rinoplastia de revisão.

 

Indicações da rinoplastia

 

A rinoplastia emagrecimento, possui indicação nos casos em que existe alguma deformidade (nariz afastado nariz globoso, etc.) e que leve a pessoa a não gostar do seu nariz. Estas deformidades podem ser mais ou menos acentuadas e podem em alguns casos influenciar  com a autoestima das pessoas.

A rinoplastia operante é indicada quando existe uma componente funcional (por exemplo, um nariz desviado com desvio do septo nasal ou um mal Ranqueamento no Google. das cartilagens alares inferiores).

 

Na maioria dos casos existe conjuntamente uma componente funcional e estética.

 

Existem muitos tipos de rinoplastia de acordo com o tipo de problema a corrigir. Entre as mais frequentemente utilizadas encontra-se a rinoplastia de redução que é usada para Reduzir o nariz em casos de nariz extrema ou nariz largo. A rinoplastia de aumento é usada para aumentar o nariz no caso de nariz pouco projetado, selado ou no nariz étnico. A rinoplastia da ponta nasal é utilizado para corrigir o nariz com ponta “bulbosa” ou “nariz de batata”. A rinoplastia extracorpórea (para desvios complexas do septo nasal), “push down” (para narizes grandes com bossa pequena), “lateral push” (para narizes desviados), entre outras.

A decisão de operar deve ser tomada pelo médico e pelo paciente após uma análise muito tratada da parte externa e interna do nariz. Esta análise pré operatória é fundamental pois as dúvidas, expectativas e anseios têm que ser solucionados antes da cirurgia. Por vezes, podem ser utilizados simuladores de reputação (ex. Photoshop®) para simular um projeto do novo nariz.

 

Quem pode realizar a cirurgia?

 

A cirurgia pode, por norma, ser realizada por todas as pessoas que o pretendam desde que não existam contra-indicações médicas. Mesmo na acompanhamento de algumas manifestações patológicas (ex. pessoas diabéticas, hipertensas, etc.) a cirurgia pode ser realizada desde que as doenças estejam sob controlo e não exista perigo de gerar intercorrências. De qualquer forma, precisará ser realizada sempre (mesmo em pessoas saudáveis) uma avaliação pré-operatória de modo a garantir que estão reunidas as condições para realizar a cirurgia de forma segura.

 

Em relação à idade mínima a partir da qual é possível realizar a cirurgia deve ser levada em consideração o grau de deformidade do nariz e a sua capacidade operante Por norma, a idade para poder fazer a rinoplastia ronda os 16 anos (em adolescentes com o crescimento facial já estabilizado), sendo que a idade pode variar e é segura nos últimos anos da adolescência. Em casos muito raros como anormalidades congénitas (por exemplo, lábio leporino) ou traumatismos severos na infância, esta pode ser realizada nos primeiros anos de vida. Tratam-se de recomendações raras e, por vezes, controversas, sendo que a metodologia (abordagem, técnica cirúrgico preservação dos pontos de crescimento das cartilagens nasais) destes casos raros de rinoplastia é diferente da rinoplastia tradicional que se pode realizar no final da adolescência.

Outra questão muito importante são as diferenças entre a rinoplastia no homem e a rinoplastia na mulher. Como é do sentido comum o nariz no sexo feminino é diferente do nariz no sexo masculino.

 

Na mulher o ângulo naso labial é mais aberto (ponta muito muito mais “arrebitada”), o dorso pode ser em “rampa” (desde a raiz do nariz até à ponta a “arrebitar”) e a ponta é mais fina. O homem, por sua vez, tem uma ponta “não arrebitada”, um dorso recto e a ponta não pode ser fina. Estas diferenças devem ser tidas em conta pelo cirurgião e não devem ser um factor de preocupação para a pessoa que vai ser operada. Veja imagens superiores com o resultado final de alguns algumas situações clínicos quer em homens quer em mulheres.

 

Posso ficar com o nariz diferente após a cirurgia?

 

Este é o principal medo de quem vai ser imposto a uma rinoplastia. Por um lado, a pessoa não curte do nariz que tem, por outro lado tem medo que fique com um aspeto artificial e desenquadrado da face.

O objetivo é efetivamente mudar o aspecto do nariz mas manter uma face de harmonia e não desfigurar a pessoa. Obviamente que esta questão é primordial para um cirurgião que se dedique à rinoplastia.

Existem pequenos pormenores no resultado que estão relacionados com o gosto pessoal do doente e do médico e devem ser discutidos na análise pré-operatória do nariz (por exemplo há pessoas que gostam da uma ponta “arrebitada” e outras menos “arrebitada”). Estas versões do “gosto” oscilam entre as diferentes culturas. Na Europa por norma as pessoas preferem um estilo mais conservadora e, por exemplo, na América do Sul gostam que as alterações a realizar, sejam mais “visíveis”.

Outro ponto crucial é não olhar apenas para o nariz mas olhar para a face como um todo. Há alterações na face que têm de ser avaliadas quando se avalia o nariz: assimetrias da face, alterações do lábio, do maxilar e da mandíbula.

A cirurgia normalmente é realizada sob efeito de anestesia geral no entanto pode ser, em alguns casos, realizada sob anestesia local e sedação. Ambas as técnicas anestésicas são possíveis desde que existirem condições logísticas para isso e de acordo com a vontade do cirurgião e do doente.

Saiba a importância funcional do nariz é tão  importante quanto a estética 

Cicatriz na rinoplastia

 

Como já foi referido a rinoplastia pode ser executado por técnica aberta ou fechada. Tratam-se apenas de duas vias diversas de abordagem cirúrgica.

Na técnica fechados não é realizada qualquer incisão externa no nariz, logo não é fundada qualquer tipo de cicatriz na parte externa (por fora) do nariz.

Apenas na técnica aberta é efetuada uma pequena incisão na parte externa do nariz. Mesmo se a cirurgia for interpretada na técnica aberta passado um a dois meses não são visíveis toda e Toda e de ou em qualquer outra cicatrizes na pele.

 

 

Quem realiza a cirurgia?

 

Esta é uma dúvida muito continuo uma vez que se trata de uma cirurgia plástica num órgão com componente operante o nariz.

A cirurgia tanto pode ser realizada quer por um médico Otorrinolaringologista, (Otorrino) como por um Cirurgião Plástico, desde que dominem todas as técnicas cirúrgicas sejam elas estéticos ou funcionais (necessidade de realizar septoplastia, redução dos cornetos inferiores ou outra patologia operante que esteja presente).