O que é e como é feita a hemodiálise

Como os rins são órgãos vitais, não há como sobrevivermos sem eles estejam funcionando minimamente. No momento em que os rins param de ter êxito, o paciente apenas possui 3 opções: transplantação renal, hemodiálise ou diálise peritonial.

Estes 3 tratamentos fazem parte que chamamos de terapia de substituição renal, que, como o próprio nome diz, são tratamentos que autenticam trocar os rins naturais.
A hemodiálise (HD), assunto que iremos alimentar aqui, é a escolha de mais usada para os casos de carência renal ponta e permite que o paciente possa manter-se visível e ligado por diversos anos.

Ter de realizar diálise não é nada educado, porém o tratamento tem de ser encarado como uma chance de vida em uma enfermidade que há poucas décadas era danoso.
Hoje em dia, as indivíduos dialisam e levam uma vida próxima do comum. Elas são capazes de sair, trabalhar, ir ao casa, divagar, fazer treinos, lanchar fora, etc.

Além disso, 90% dos pacientes que estão em hemodiálise afirmam que o princípios não é tão difícil quanto eles imaginavam. Alguns, até mesmo, nem sequer se interessam por entrar na linha do transplantação de tão bem adaptados que ficam ao tratamento.

Por quanto tempo é necessário realizar hemodiálise?

A hemodiálise é um tratamento que serve para pacientes com carência renal aguda ou carência renal crônica
Carência renal aguda.

O carência renal aguda acontece no momento em que um paciente que primeiro tinha uma ofício renal adequada apresenta um dificuldade que faz com que os seus rins parem de ter êxito de uma momento pra outra. Ou seja, é uma violação aguda dos rins.

A violação renal aguda costuma acontecer em casos de botulismo exógena, utilização de drogas ou remédios tóxicos aos rins, desidratação severa, infecções graves ou fechamento do familiaridade urinário. Na carência renal aguda, uma vez fraude a pleito, os rins tendem a voltar a ter êxito adequadamente. Então, as sessões de hemodiálise são feitas somente enquanto os rins não se recuperam, o que costuma acontecer depois de alguns dias ou semanas.

Carência renal crônica

Já a carência renal crônica é uma enfermidade progressiva e inconvertível dos rins. É uma violação provocada habitualmente por anos e anos de insulto contínua aos rins, como nos casos de diabete mellitus, hipertensão ou glomerulonefrites.

Os pacientes com carência renal crônica no momento em que chegam a fases avançadas da enfermidade necessitam de hemodiálise e, menos raros casos, ficam dependentes da equipamento para o resto da vida, uma vez que não há momento de recuperação da ofício renal.

A partir desse ponto, vamos anunciar sobre as sessões de hemodiálise no paciente com carência renal crônica.

Dependência de tratamento

Os pacientes com carência renal crônica que precisam começar tratamento hemodialítico são habitualmente alocados a uma clínica de hemodiálise.

As clínicas são unidades extra-hospitalares, cuja única ofício é proporcionar este tipo de tratamento aos pacientes.
As salas de hemodiálise costumam ter diversas máquinas, sendo capazes de ganhar, em vários casos, até 20 pacientes em uma apenas dependência. Clínicas grandes são capazes de ter 4 ou 5 salas, o que lhes permite dialisar dezenas de pacientes a cada horário.

Cada paciente possui direito a uma poltrona, que é completamente reclinável e possui 2 apoios para o bravura. A maior parte das salas possui um ou mais aparelhos de TELEVISÃO para que os pacientes possam assistir programas enquanto dialisam.

A equipe encarregado pelas salas de hemodiálise é composta por um ou 2 médicos e um grupo de enfermeiros.

Quanto tempo dura uma convenção de hemodiálise?

As sessões de hemodiálise duram habitualmente 4 horas e são realizadas 3 vezes por semana. O paciente pode optar pelos dias ímpares (terça, quinta e sábado) ou pelos dias pares (segunda, quarta e sexta-feira ). Similarmente é possível optar por um dos 3 turnos do dia: manhã, tarde ou noite.

Cada clínica estabelece o seu horário, porém, em maior parte, o horário da manhã é realizado de 7 às 11h, o horário da tarde de 12h às 16h e o horário da noite de 17 às 21h. Algumas clínicas fazem intervalos mais curtos entre os turnos e podem proporcionar um 4º horário, que costuma iniciar às 20h e findar à meia-noite.

O pacientes mais jovens e também ativos profissionalmente costumam proteger o horário da noite, enquanto os mais idosos habitualmente fazem a sua convenção de HD nos turnos da manhã.

O paciente precisa ficar permanente nos turnos e dias escolhidos, porém, em casos pontuais, ele pode requisitar antemão a troca de horário ou de dia.

Já há clínicas que oferecem sessões de hemodiálise ao longo a madrugada. O paciente chega à clínica no final da noite e se submete a uma convenção mais prolongada, de 6 a 8 horas. Ou seja, o paciente 3 vezes por semana dorme na clínica de hemodiálise enquanto faz a sua convenção de HD.

Essa forma de HD parece ser pouco apessoado, porém é a que vem explicando melhores resultados em correlação a problemas e taxas de mortalidade a prolongado tempo.

Como é feita a convenção de hemodiálise?

Saiba Mais: Hemodiálise é única opção para pacientes que aguardam doações de rins 

Dessa maneira que o paciente chega à clínica, ele é fatigante e em seguida e senta-se na poltrona ao lado da equipamento que está reservada para si. Depois de uma breve conversa com propósito de saber se há um dificuldade ou dissabor por parte do paciente, o enfermeiro afere a sua pressão arterial. Se estiver tudo okay, o enfermeiro prepara-se para começar a convenção.

Para que a equipamento de hemodiálise consiga realizar o seu trabalho de apurar as toxinas do sangue e dispensar o exagero de líquidos do corpo, ela necessita ter acesso ao sangue do paciente. Isto é realizado a partir de uma fístula arteriovenosa (FAV) ou de um cateter venal central (CVC). Explicamos melhor essas duas vias de acesso mais à frente.

Vamos utilizar a FAV como malogro, uma vez que esse é o acesso vascular mais recomendado para corporificar uma convenção de HD. A fístula do paciente necessita ser puncionada por duas agulhas, uma para puxar para o sangue em direção à equipamento e outra para devolver o sangue já filtrado de volta para o paciente. Isto significa que o paciente será espicaçado duas vezes constantemente que for começar a convenção de HD. Em maior parte, as picadas são realizadas no mesmo local, o que produz um irrelevante ramada que favorece a punção e reduz a existência da dor.

Ao começar a convenção, o giro extracorpóreo da equipamento é enchido com mais ou menos 300 mililitros de sangue do paciente. A partir de uma posto o sangue é levado em direção ao filtro da hemodiálise, que é a estrutura que verdadeiramente filtra o sangue e retira o exagero de líquido.
Ao longo 4 horas, o sangue do paciente encontra-se passando incessantemente pelo giro e pelo filtro.

O processamento de higienização do sangue e a afastamento do exagero de água é controlado por um computador. Como o paciente em diálise não urina ( ou aproximadamente não urina ), se entre uma convenção de HD e outra ele passar a ter 3 quilos, isto significa que ele acumulou cerca de 3 litros de líquidos neste tempo. Essa será, por isso, a porção de água que a equipamento irá remover do seu corpo ao longo as 4 horas de convenção.

Se o paciente for pouco disciplinado e ingerir água indiscriminadamente entre uma convenção e outra, ele pode passar a ter 5 ou 6 quilos neste paragem, o que é uma porção de água bastante grande para ser afastamento em somente 4 horas de convenção.

Uma ou duas vezes a cada momento de convenção, os vestígios vitais do paciente, inclusive pressão arterial, frequência cardíaca e temperatura do corpo são aferidos para termos firmeza que está correndo tudo bem ao longo o tratamento. Caso haja um dificuldade, o médico é conhecido por à dependência para avaliar o paciente. Na imensa maioria das vezes, as intercorrências são simples, e o médico não necessita ingerir nenhuma providência mais agressiva.

Como termina a convenção?

Depois de as 4 horas, o giro extracorpóreo da equipamento de HD é esvaziado e todo o sangue retorna para o paciente. Estando tudo bem, a equipe de enfermagem retira uma rumo de cada vez e solicita que o paciente use os seus dedos para pressionar o local da punção de modo a dificultar que haja um sangramento. Em maior parte, este processamento tardada uns 5 minutos. Depois de este tempo, a equipe de enfermagem certifica-se de que o local da punção já não apresenta perigo de sangramento e o cobre com uma tratamento.

A pressão arterial é providência mais uma vez, e se tudo estiver bem, o paciente é liberado para ir ainda que para a sua casa. Antes de sair, ela pesa-se para afirmar a afastamento de líquido. Se a equipamento aparecia programada para remover 3 litros de água, o paciente necessita sair da HD com mais ou menos 3 quilos a pouco que entrou.

Como funciona a hemodiálise?

Toda vez que 2 líquidos com concentrações distintos são separados pela couro permeável, ou seja, uma couro que contenha poros, a propensão é que elas se equilibrem. Depois de um tempo, a concentração da elemento encontra-se aproximado dos 2 lados. Isso apenas acontece, no entanto, se as moléculas da suposta elemento forem mais baixos que os poros da couro. Pense na couro como uma bebedor fina.

Observe o estamparia embaixo. A figura representa 2 líquidos separados pela couro com poros de massa 3 ( uma ordem de grandeza fictícia qualquer ). De um lado possuimos 3 moléculas de tamanhos distintos. A vermelha, fulano massa é maior que o poro ( massa 4), a amarela, que é um pouco menor que o poro ( massa 2,5), e a cerúleo, que é bem menor que o massa do poro ( massa 1).

FONTE: https://www.r7.com