Cuidados com a Pele Oleosa

dos diários que precisam ser adotados por quem possui pele oleosa

Da frequência de lavagens até o que é melhor alimentar-se e ingerir, saiba como é a cotidiano ideal para preservar a pele sadio e bonita.

O clima quente de nosso país, a contaminação dos centros urbanos e elementos como genética e refeição rica em carboidratos fazem com que a pele oleosa seja a mais comum entre os brasileiros. É uma pele com alta fabricação de sebo, o que a torna luzidio, com um fachada “ crasso ” e poros mais dilatados que os das peles comum e seca. Similarmente é comum que as indivíduos com pele oleosa tenham uma propensão maior a entregar espinhas, cravos e espinha.

Conheça mais sobre Dermatologista em BH

Legítimo essa oleosidade e preservar a pele sadio e bonita é completamente possível, a partir de que sejam adotados alguns afazeres diários. Conversamos com as dermatologistas Juliana Piquet e Paula Chicralla para saber em que você precisa estar atenta se sua pele for oleosa.

Lavar o frente no máximo 3 vezes ao dia

Quem se sente incomodada com a oleosidade da pele geralmente pretende lavar o frente diversas vezes durante do dia. Uma vez que não precisa. O ideal é lavar no máximo 3 vezes: impreterivelmente uma ao despertar e uma antes de dormir e opcionalmente uma então pela momento do almoço.

“ Lavar em exagero acaba ressecando a pele, que vigia que necessita realizar mais sebo, levando ao resultado rebote ”, explica Juliana, que similarmente atento que lavar em exagero pode casar a dificuldade cutânea, adulterar o microbioma e a ofício de intervenção da pele.

O melhor tipo de produto para as lavagens é um sabonete líquido para peles oleosas, por ser pouco estegnótico e pouco agressivo.

Não destituir a hidratação na cotidiano de higienização da pele

Toda pele necessita de hidratação, até mesmo a oleosa.

A cotidiano de higienização para a pele oleosa, então, inicia com a limpeza e acaba com a aplicação de um hidratante exclusivo para peles oleosas. No meio do percurso, usa-se um estegnótico e água micelar – esta última, especificamente se houver a urgência de dispensar cosmético.

Por isso, para ficar bem evidente, vamos recapitular a ordem: limpeza – estegnótico – água micelar e hidratante.

Utilizar água em temperatura amena para as lavagens

A água para as lavagens da pele oleosa precisa estar no máximo a 37°C. Se estiver mais quente que isto, pleito um ressecamento exagerado que leva ao resultado rebote – o mesmo processamento das lavagens em exagero que explicamos então em cima.

Terminar as lavagens do frente com água fria

Juliana recomenda um jato de água fria no final das lavagens e do banho. “ Auxilia a encerrar os poros após a higienização ”, justifica. Paula, por sua vez, recomenda: “Lave o frente na lavabo mesmo, no momento em que for surrar os dentes, e evite deixar o sabonete de frente no banho ”. Dessa maneira, não se cai na sedução de lavar o frente com água quente.

Redes Sociais

Hidratar-se bastante de dentro para fora

A indicação de Paula é que quem possui pele oleosa beba entre 2 e 3 litros de água por dia. “ Ela faz um detox. Diminui os radicais livres, as impurezas e o concentração de sebo ”, esclarece.

Permitir preferência a produtos de tratamento em sérum ou gel

As dermatologistas são unânimes em expressar que sérum e gel são as melhores vias para produtos de tratamento para peles oleosas. Paula possui uma rápido preferência pelo sérum, “ visto que ele é um fluido, bem sequinho e frequentemente irrita pouco que o gel”.

Proteger-se em oposição a agentes externos, como a contaminação

“As partículas poluentes são capazes de obstruir de modo direto os poros”, segue Juliana. Isto leva ao crescimento de existência de cravos e espinhas e pode favorecer a aparecimento da espinha em quem possui propensão a desenvolvê-la.

A melhor forma de ajudar a pele é não esquecer de adaptar seu hidratante no final da cotidiano de higienização, uma vez que ele produz uma dificuldade de proteção essencial especificamente para que pessoas mora ou circula em cidades enormes e cheias de tráfego.

Colocar os alimentos adequados no prato

A refeição pode ser determinante entre uma pele oleosa controlada ou descontrolada. Alguns alimentos evidencia a personalidade de dificultar a oleosidade cutânea – Paula citação o mandubi e o chocolate –, por isso é melhor evitá-los.

Mais são capazes de coarctar as inflamações e a espinha associada à pele oleosa. “ Uma refeição rica em fibras e proteínas e simples em carboidratos refinados e em laticínios auxilia bastante quem padece com a oleosidade da pele ”, finaliza Juliana.