O que é uma prótese total absoluta

Gengivas e mucosas não foram feitas para apoiar a condensação traumatizante oriundo das bases das dentaduras. É necessário esperar as modificações adaptativas desses tecidos para que estejam fortes e resistentes para apoiar um dia inteiro de utilização intenso com as próteses. E deixá-las, logo nos primeiros dias, 24hs sem relaxamento em boca não vai agilizar este processamento – bastante pelo contrário, sina de muita dor, aftas e gengivas machucadas. Porém efetua para modificar este exposição difícil de transposição às dentaduras.

Comece usando as dentaduras por um tempo máximo de 6 horas. Em seguida, vá subindo em 1 momento, a cada dia, o tempo de preservação da prótese em boca, até atingir o tempo ideal de utilização diário: 14 a 16 horas diárias. Nas outras 8 a 10 horas restantes para você estará dormindo sem as dentaduras. Este é hora para o relaxamento da gengiva e mucosas em contato com a prótese completo, e você precisa seguir este estratagema de utilização para constantemente. Lembrou agora visto que os desenhos constantemente mostram um parceiro de dentaduras dentro de um taça d’ água?

O primeiro dia de utilização e transposição à dentadura transcorre sem dores. O início do pesar se efetua a partir do de acordo com dia, e lá pelo quarto e quinto dias alcançam o tempo mais intenso. A percepção é de muita dor e aborrecimento. Para alguns pessoas, as primeiras aftas (úlceras) já estão instaladas e em sua ciclo mais conta. Um guarida terapêutico é o percurso para mudar por dias tão complicados. Quer saber mais sobre, acesse https://www.dentistasembh.c-*-om.br/

Os analgésicos mais simples são excelentes para realizar da transposição às dentaduras uma tempo mais agasalhado. O composto boticário ideal necessita ser estudado com o seu dentista, experiente no seu histórico de utilização e efeitos nocivos pessoais. Diabéticos e cardíacos, por exemplo, precisam de um estratagema terapêutico personalizado.

O estratagema para analgesia não possui segredos. Ingira os primeiros analgésicos já no primeiro dia, antes mesmo da instalação da prótese completo, e mantenha a terapia por 5 dias. Fármacos mais simples são capazes de ser consumidos, em casos extremos, por até 7 dias, sem riscas de problemas de saúde e irritações gástricas.

Em algumas situações o utilização de anti-inflamatórios pode ser preciso, sendo receitados por no máximo 48 dias, entre o quarto e quinto dia pós instalação das dentaduras – tempo mais desagradável e ofendido de transposição à dentadura. Porém tome atenção: anti-inflamatórios são remédios tóxicas e que agridem a mucosa gástrica no momento em que de utilização estirado.

Comece com alimentos pastosos e macios e aumente pouco a pouco a aparência deles

Evite sair consumindo tudo o que vê pela frente no primeiro dia de transposição à prótese completo: suas gengivas e mucosas também não estão prontas para apoiar condensação. É comum que nas primeiras 24 horas o paciente se sinta agasalhado e sem riscos para pesar alimentos duros e fibrosos, repetindo a regime costumeira à instalação da nova dentadura. No entanto, não incorra nesse engano: a apartamento de dores na gengiva no primeiro dia efetua a traiçoeira impressão de que está tudo bem.

Comece com sopas e alimentos mais pastosos (purê e macarrão são recomendadíssimos). Compense o saldo negativo de consumo de alimentos dos primeiros dias com alimentos mais calóricos – esqueça, pelas próximas duas semanas, a regime da roupas que você vem conduzindo-se há meses. Introduza pequenos pedaços macios de carnes e legumes cozidos no entanto com aparência mais forte lá pelo quinto e sexto dia. A ideia é ir progredindo a aparência dos alimentos como o mudar dos dias.

O tempo de transposição à dentadura com regime restrita costuma ficar 30 dias – alguns pessoas relatam que apenas voltaram a alimentar-se geralmente passados 2 meses da instalação da prótese completo. É dessa forma que os suplementos vitáminicos são fundamentais para gratificar a déficit de proteínas e vitaminas que pode acontecer ao longo a transposição da dentadura.

Teste você mesmo se sua dentadura está com bordas bastante extensas

 

A dificuldade de transposição à dentadura está relacionada a vários complicações de fabricação da prótese completo. O mais comum deles é a volta da prótese mais extensa (comprida) que o preciso, que pressiona o fundo da região de embate entre a mucosa alveolar e a mucosa da bochecha e causa dores intensas e são capazes de provocar múltiplas lesões ulceradas (aftas).

O teste que identifica bordas sobre-extensas em dentaduras pode ser feita por você mesmo: com as próteses de modo correto assentadas em boca, afaste levemente as arcadas dentárias e apreenda, com os dedos das duas mãos, os lábios.

Realizado isto, estique e movimento-os em todas as direções para experimentar desviar as dentaduras. O propósito é experimentar dispensar a dentadura do seu lugar. Se isto ocorrer, suspenda o utilização da prótese completo e procure o seu dentista: as bordas das suas próteses estão sobre-estendidas e certamente são a pleito para as dores e dificuldade de transposição da dentadura às gengivas e mucosas.

Ajuste a picada para favorecer a rapidez de transposição à dentadura

Várias vezes, as dentaduras são novas e bonitas…. porém os dentes ( picada ) não estão perfeitamente ajustados (encaixados). Isso pode ocorrer entre duas próteses ou entre a prótese e os dentes naturais. No momento em que a correlação de contato entre os dentes não é necessita, a dificuldade de transposição das dentaduras às gengivas e mucosas são severamente prejudicadas.

Antigamente, os protéticos executavam um técnica chamado de remontagem para ajuste oclusal, uma técnica primordial para aumentar a qualidade da picada e estabilidade das próteses em boca. O dificuldade é que essa etapa fundamental de fabricação das dentaduras desapareceu na mesma providência em que os melhores protéticos abandonaram a fabricação dessas prótese, dedicando-se somente à parte mais lucrativa da odontologia: próteses com porcelanas.

O ajuste oclusal para dentaduras é mais efetivo no momento em que executado pelo laboratório protético. Porém, ele também pode ser executado, não com a mesma eficiência, pelo dentista. É um técnica simples, acelerado e primordial no processamento de transposição a dentaduras.

Interrupção totalmente o utilização da dentadura se aparecerem aftas nas gengivas e mucosas

A dor mais intensa ao longo o tempo de transposição a dentaduras novas coincide com o começo das aftas, úlceras que alcançam o fazenda subjuntivo e que produzem dores intensas e de aborrecimento. Apenas insuportáveis.

O paciente, ao longo o tempo de transposição à prótese completo, necessita observar todos os dias gengivas e mucosas da oco oral para identificar possíveis bom ou lesões. O utilização de dentaduras sobre aftas em mucosas e gengivas são capazes de provocar pacientes a desistirem de seus tratamentos, além de reforçar em diversos dias o tempo de cicatrização dessas úlceras. Dessa maneira, ao identificá-las, suspenda de imediato o utilização da prótese completo até que todos os sinais tenham desaparecidos.

Causas de renovação

O manejo clínico de alguns pacientes desdentados pode ser uma fonte de frustração tanto para o paciente quanto para o clínico, pois, apesar dos melhores esforços, os pacientes permanecem incapazes de se adaptar ao uso das próteses que foram fornecidas. Muitas vezes, os pacientes que se enquadram nessa categoria tiveram uma experiência anterior ruim de uso de próteses e podem ter expectativas irreais. No entanto, ajustes repetidos, ou mesmo refazeres, podem aumentar significativamente o custo da construção da prótese e isso pode resultar em uma experiência negativa tanto para o clínico quanto para o paciente. No blog Dentistas em BH detalha como funciona muitos outros tratamentos, veja a seguir https://dentistasembh.com.br/tratamentos/

1. Relacionado à saúde

Atualmente, um dos grandes problemas da odontologia é o atendimento odontológico ao paciente idoso. Para solucionar este problema, a maioria dos países desenvolvidos tem investigado o estado geral e odontológico de seus idosos. Embora as necessidades de assistência à saúde e odontológica dos idosos sejam conhecidas nos países em desenvolvimento, não há estudos ou um sistema mundial para organizar os serviços sociais de acordo com as necessidades e demandas dos pacientes.

Por outro lado, embora os distúrbios orais raramente sejam fatais, eles podem ter um impacto significativo no bem-estar social e psicológico dos idosos. Muitas vezes, assume-se que a melhoria da saúde bucal melhorará a qualidade de vida.

Em adultos mais velhos, isso se torna mais significativo porque muitas dessas pessoas têm deficiências e deficiências substanciais que podem prejudicar a higiene bucal. Essa situação pode, consequentemente, levar a uma saúde bucal precária ou ao desenvolvimento de doenças bucais em idosos que podem se tornar um importante problema de saúde pública.

Estudos avaliando a saúde médica e bucal de idosos não são comuns; claramente os tratamentos odontológicos não estão dentro de suas prioridades; Em alguns estudos foi demonstrado que indivíduos edêntulos apresentam próteses totais inadequadas variando entre 31% e 80%. É muito difícil identificar se isso foi devido a alterações biológicas e fisiológicas na boca ou foi consequência de imperícia durante a confecção das próteses.

2. Padrões das bases

As causas mais comuns de fratura de prótese podem ser extra-orais, como queda da mão do paciente para as superfícies duras, ou intra-oral durante a função. É preciso depender principalmente da versão dos usuários para a causa da fratura da prótese.

Dentro da boca, a fratura pode ocorrer por vários motivos como oclusão inadequada, colocação de dentes artificiais na vertente vestibular do rebordo ou contra o palato, pressão dos dentes naturais opostos, má retenção e estabilidade, uso prolongado causando desgaste dos dentes artificiais e reabsorção de crista residual, presença de inserções frenais altas, sutura palatina média proeminente, toro palatino ou lingual, rebaixo de tecido duro ou mole, etc.

Defeitos na prótese também podem ser criados durante o procedimento laboratorial. Isso pode incluir base fina da prótese, colocação dos dentes artificiais na inclinação vestibular do rebordo, incorporação de reforços metálicos, inclusões como gesso ou bolhas de ar dentro do material, porosidade, arranhões profundos que agem como um aumento de tensão e predispõem a prótese à fratura.

3. Obstáculos relacionados às cristas residuais

As dentaduras têm que funcionar em um ambiente dinâmico. A língua sendo o músculo mais versátil do corpo, pode ser usada para controlar a prótese. Os problemas pós-colocação de próteses dentárias têm sido classificados por vários autores. Heartwell e Rahn classificaram os problemas pós-colocação como incompatibilidade com o meio bucal circundante, problemas de mastigação, desarmonia com funções como fala, respiração e deglutição, insatisfação com a estética e deterioração de tecidos moles ou suporte ósseo.

A falha em reconhecer a importância fundamental da posição do dente e da forma e contorno do flange muitas vezes resulta em próteses que são instáveis ​​e insatisfatórias, mesmo que tenham sido habilmente projetadas e habilmente construídas.

A colocação incorreta dos dentes e a forma arbitrária das superfícies polidas podem ter um efeito adverso no sucesso da prótese.

Um dos métodos utilizados para resolver este problema é a técnica da zona neutra.

Os dentes artificiais podem então ser montados nas posições corretas. (Fig. 3) A área basal da base da prótese influenciou muito a eficiência mastigatória, sugerindo que a eficiência mastigatória em usuários de prótese total foi limitada por seus próprios rebordos residuais e os pacientes devem ser informados sobre a limitação da recuperação da capacidade mastigatória antes da início do tratamento da prótese.

Tratamento por prótese total imediata devido a insucesso na utilização de implantes de titânio osseointegrados - Revista ImplantNews

4. Padrões oclusais

Um período de 6-8 semanas é necessário para estabelecer novos padrões de memória para os músculos mastigatórios. Em estudo de Goiato et al. os pacientes apresentaram melhora na eficiência mastigatória após um ano com suas novas próteses. A correção da relação oclusal vertical e sagital com a colocação de novas próteses também demonstrou alterar significativamente as posturas da cabeça e da coluna cervical, aliviar os sinais e sintomas de DMC (distúrbios crânio-mandibulares) e ter um efeito positivo sobre os músculos mastigatórios.

Também foi sugerido que a dimensão vertical incorreta e a relação cêntrica foram as causas mais frequentes de DTM (desordem temporomandibular).

 

Além disso, uma diminuição na dimensão vertical contribui para morder a bochecha, uma vez que as bochechas tendem a colapsar na área oclusal.

Os pacientes devem ser informados de que a eficiência de mastigação do usuário de prótese é inferior a um sexto daquela do sujeito com dentição natural. A avaliação e o restabelecimento da dimensão vertical oclusal (DVO) são considerados fatores importantes no tratamento de usuários de próteses totais. O uso prolongado de uma prótese total pode resultar em deslocamento da mandíbula devido à abrasão dos dentes artificiais e reabsorção residual do rebordo, causando complicações estéticas.

A maioria dos pacientes com próteses antigas e DVO incorreta aceita o restabelecimento da DVO com novas próteses totais, mesmo que estejam acostumados com suas próteses antigas. Por esse motivo, costuma-se acreditar que as alterações no OVD devem ser conservadoras e por um período de teste, com prótese provisória se necessário. É um processo gradual que permite avaliar a tolerância, estética e fonética do paciente no DVO restaurado proposto.

A verificação oclusal deve ser realizada por meio de um procedimento de remontagem porque os materiais da base da prótese e os procedimentos de fabricação não podem fornecer próteses totais dimensionalmente precisas.

Os contatos oclusais defletivos dos dentes da prótese em oclusão cêntrica podem ser eliminados por moagem seletiva e por movimentos excursivos guiados por dentes.

No entanto, se for constatado que há uma grande mudança na dimensão vertical da oclusão, produzindo uma mordida aberta de mais de 3 mm, qualquer ajuste nos dentes para corrigir isso resultará em uma remodelação completa do as superfícies oclusais e quase certamente uma perda completa da anatomia cúspide dos dentes. O único recurso é remover os dentes posteriores, retomar o registro da mandíbula, remontar no articulador e definir e processar novos dentes posteriores para a dimensão vertical oclusal correta.

Quando há uma discrepância entre a relação cêntrica e a máxima intercuspidação, o clínico deve primeiro considerar o tamanho do erro: se for resultado de um registro incorreto da posição da relação cêntrica e se a discrepância não for maior que a largura de uma cúspide , as próteses devem ser remontadas no articulador usando um novo registro de relação da mandíbula (um “check bite”) e a oclusão corrigida no articulador.

Se a discrepância for muito grande para ser ajustada desta forma (ou seja, mais do que a largura de uma cúspide), então os dentes posteriores devem ser removidos, um novo registro de mandíbula deve ser feito, as próteses devem ser montadas novamente e novos dentes processados ​​no base.

Finalmente; esses novos parâmetros podem ser adotados para uma nova prótese total..

5. Procedimentos técnicos

A maioria dos dentistas examinará um paciente que está perfeitamente satisfeito com suas próteses mal ajustadas, móveis e malocluídas. De fato, as avaliações dos pacientes quanto à satisfação com suas dentaduras mudaram significativamente ao longo do tempo.

Isso ilustra a influência da capacidade adaptativa na satisfação do paciente com as próteses, no entanto, isso não deve ser usado como desculpa para o mau trabalho protético, pois a necessidade de contar com a capacidade adaptativa será minimizada pela produção de próteses tecnicamente corretas.

Nem todos os pacientes apresentam tal capacidade adaptativa.

Além disso, há um pequeno número de estudos que demonstram que próteses tecnicamente corretas satisfazem melhor os pacientes do que próteses de má qualidade.

O laboratório odontológico geralmente não possui achados detalhados de diagnóstico e exame sobre o paciente. Mesmo que os técnicos de laboratório dentário tenham acesso à informação, não têm formação para avaliá-la adequadamente e determinar o tratamento adequado. Sem uma compreensão completa dos princípios biológicos e fisiológicos, o pessoal do laboratório pode, sem saber, colocar forças nocivas na dentição do paciente.

Erros comuns são sobre não usar temperaturas e tempos de queima precisos. Se a temperatura de queima for muito baixa e o tempo de queima for muito curto, o investimento não sofrerá expansão térmica suficiente. Como resultado, a fundição pode se encaixar muito bem na fundição definitiva. Se a temperatura de queima for muito alta, o revestimento se decomporá e fará com que o fundido fique áspero e sem caroço .

No entanto, se o frasco for fechado muito rapidamente para permitir que a resina flua em todos os espaços, uma pressão desigual será exercida e o deslocamento do dente poderá ocorrer.

Um estudo clássico relatou que o processamento de próteses por ciclo longo em banho-maria é recomendado, pois causa menos alterações dimensionais e o resfriamento lento dentro do banho-maria é recomendado antes da desmoldagem para evitar altas tensões residuais geradas pelas diferenças de expansão térmica entre o molde de gesso e a prótese base.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pr%C3%B3tese_dent%C3%A1ria