Morre mais uma pessoa na rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel

Morre mais uma pessoa na rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel

A rebelião que ocorre a partir de as 15h30 de quinta-feira (9) na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), no ocidente do Paraná, deixou 2 presos mortos, segundo o diretor do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), Luiz Cartaxo, um deles decaptado. 2 agentes penitenciários são mantidos reféns de o início do tumulto e também, conforme o Depen, estão muito. Até as 15h45, a situação seguia sem solução.
Durante a rebelião, outros seis presos ficaram feridos. Segundo a Agente Militar (PM), eles foram socorridos e também encaminhados para unidades de pronto ajuda.
Um terceiro agente que também tinha sido rendido foi liberado no final da inoportunamente de quinta. O varão sofreu ferimentos na testa e também foi levado para a Unidade de Pronto Ajuda (UPA) Veneza.

Equipes do Seção de Operações Singulares (SOE) e também da Policial Militar (PM) estão no lugar para tentar negociar o termo da rebelião. No início da manhã, a PM chegou a expor que a negociação estava prestes a ser concluída, porém pouco tempo depois afirmou que os detentos não cumpriram o combinação e também que, desse modo, as negociações tiveram que reiniciar.
Ainda pela manhã, um veículo do Instituto Médico- Legítimo (IML) esteve na PEC. A agente e também nem o Depen confirmaram se corpos foram recolhidos da unidade.

O Associação dos Agentes Penitenciários informou que a rebelião começou no balcão da penitenciária. Os presos que estavam no sítio escalaram a parede e também acessaram o cobertura. A partir de logo, eles não saíram mas do lugar.
Em reunião nesta sexta-feira, a percentagem de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Cascavel levantou que os rebelados reclamam da queda na qualidade dos mantimentos servidos e também do tratamento oferecido às visitas. Os detentos, aponta o representante dos advgoados, Marcelo Navarro, exigem ainda a transferência de três agentes penitenciários.

O Corporação dos Agentes Penitenciários informou que a rebelião começou no terraço da penitenciária. Os presos que estavam no sítio escalaram a parede e também acessaram o teto. A partir de logo, eles não saíram mas do lugar.
Em reunião nesta sexta-feira, a percentagem de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Cascavel levantou que os rebelados reclamam da queda na qualidade dos mantimentos servidos e também do tratamento oferecido às visitas. Os detentos, aponta o representante dos advgoados, Marcelo Navarro, exigem ainda a transferência de três agentes penitenciários.

\’ Salvar vidas\’
Informações preliminares da Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) apontam para uma provável combate entre facções. A Sesp não confirma as demais exigências dos presos.
O regulador Beto Richa (PSDB) diz durante a entrega de carros para a Milícia Militar na manhã desta sexta em Maringá, no setentrião do Paraná, que equipes estão mobilizadas para a rebelião seja encerrada da melhor forma.
\” A segurança pública toda está mobilizada. Estão toda gente em Cascavel, com todo o desvelo necessário, porque têm 2 reféns nesta rebelião. Segundo o secretário [de segurança] a carola do recluso degolado foi apresentada como um troféu por uma partido adversária, o PCC [Primeiro Comando da Capital] e também outras facções. A Secretaria está lá tentando resolver esta situação da melhor forma provável. O mas essencial neste instante é livrar vidas\”, comentou.

MELHOR SITE DE NOTICIAS — http://bit.ly/2w2AZJK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *